Gestão

Você enfrenta essas dificuldades para melhorar sua renda?

Dados do Censo Agropecuário divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estática), mostram que quase a metade das propriedades rurais no Brasil são pequenas e geridas por pequenos produtores. Porém, há preocupação por parte deles em sempre buscar alternativas para melhorar a renda em pequenas propriedades. Tal preocupação é bastante importante, visto que muitas são as dificuldades do pequeno produtor, que tem uma luta diária para buscar o aumento da renda.

No Brasil, apesar de representar metade das propriedades rurais, o pequeno produtor convive diariamente com variados problemas que comprometem o aumento da renda em pequenas propriedades.

Na concepção do engenheiro agrônomo, Carlos Henrique de Paula e Silva, diretor da CATI Regional Ribeirão Preto (SP), as principais dificuldades do pequeno produtor neste sentido são:

  • Pouco conhecimento do Sistema Agroindustrial;
  • Baixa utilização de tecnologias;
  • Não trabalhar o associativismo e cooperativismo.

De fato, esses fatores contribuem negativamente com a busca pelo aumento da renda em pequenas propriedades. Mas há ainda outras dificuldades bastante claras enfrentadas pelo pequeno produtor.

João Paulo Rodrigues Arciprete, analista de negócios do Sebrae-SP explica que a dificuldade de acesso ao crédito e às novas tecnologias, adequação da produção às necessidades e demanda dos mercados, além da falta de gestão na propriedade rural são fatores que influenciam diretamente no insucesso da busca pelo aumento da renda em pequenas propriedades.

A dificuldade de acesso ao crédito, por exemplo, impossibilita o investimento em tecnologia, inovação ou simplesmente a compra de implementos que permita aumentar a produtividade por área, ao mesmo tempo, que reduz custo tornando a propriedade mais eficiente”, salienta Arciprete.

Como lucrar mais? Se torne um empresário rural!

Várias são as medidas que podem ser adotadas pelos pequenos produtores para que consigam melhorar a renda em pequenas propriedades rurais. Mas para o diretor da CATI, estes pequenos produtores devem primeiramente olhar a propriedade rural como uma empresa e o produtor rural como empresário.

Muitas vezes o capital imobilizado e investido na propriedade para produção rural é maior que muitas empresas instaladas na área urbana, portanto, o produtor rural deve ter a consciência de que é empresário do setor rural”, diz.

Além disso, de Paula e Silva salienta que este conceito vale para todos os produtores e propriedades rurais independente de seu porte. “Somente assim será possível crescer no negócio”, ressalta.

Somente após o entendimento da propriedade rural sendo gerida como uma empresa rural, será possível ponderar alguns caminhos que efetivamente aumentem a renda em pequenas propriedades. O analista de negócios do Sebrae diz que um dos caminhos é a agregação de valor.

“Produtos minimamente processados, picados e fracionados de acordo ao tamanho das novas famílias, aproveitando produtos antes descartados devido sua aparência tem tudo para ser um bom caminho para aumentar a renda em pequenas propriedades”, sugere Arciprete.

Outros exemplos podem se basear na produção de produtos artesanais como queijos, embutidos, café torrado e moído com marca própria, além da possibilidade do turismo rural, caracterizado como um negócio crescente.

Além disso, o uso de tecnologias na produção, seja no melhoramento genético ou no combate a pragas e doenças, ou ainda na melhoria das condições físico, químicas e orgânicas do solo, são outras ações sugeridas pelo diretor da CATI que vão melhorar as condições de produção e consequentemente aumentar a renda em pequenas propriedades.

Além disso tudo, de Paula e Silva explica que as pequenas propriedades são geralmente propriedades voltadas à agricultura familiar. “Por isso, o envolvimento da família nas questões do empreendimento rural, como planejamento, produção, comercialização, adesão a novas tecnologias deve ser o maior possível”, salienta. Além disso, o diretor da CATI sugere que a sucessão familiar deve ser outro fator a ser trabalhado para este não seja um entrave na melhoria de renda em pequenas propriedades rurais.

Priorize a gestão e aumente a renda da sua propriedade

Tanto Carlos Henrique de Paula e Silva quanto João Paulo Rodrigues Arciprete concordam em salientar que dar prioridade na gestão é fundamental para aumentar a renda em pequenas propriedades rurais.

Arciprete explica que para alcançar o sucesso do negócio é fundamental que os pequenos produtores entendam sua propriedade e as vendas geradas como um negócio, por isso a gestão tem papel fundamental.

Segundo ele, a gestão de qualquer propriedade passa por diferentes fases que vão desde o planejamento da produção, atravessa a gestão financeira da propriedade e chega até a venda e entrega da produção.

O diretor da CATI complementa: “A gestão da propriedade rural desde o planejamento até o escoamento da produção cumpre uma função de sustentação e é com certeza fator essencial para a perenidade do negócio e para o aumento da renda em pequenas propriedades”.

Silva tem opinião semelhante. Segundo o engenheiro agrônomo da CATI, aprimorar a gestão da propriedade será essencial para o sucesso econômico, social e ambiental da atividade.

Quando respeitamos estes três pilares da gestão é que a propriedade se torna sustentável. Uma propriedade somente será sustentável e ter vida longa se estiver com sua gestão em ordem e atualizada”, diz.

Segundo o representante da CATI, os três pilares deste tripé (econômico, social e ambiental) é que vão dizer se a gestão está eficiente e se a renda em pequenas propriedades será elevada.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *