Agrishow faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Conheça os benefícios da ILPF para a conservação do solo

Conheça os benefícios da ILPF para a conservação do solo

A integração Lavoura-Pecuária-Floresta (ILPF) é uma estratégia de produção que integra diferentes sistemas produtivos - agrícolas, pecuários e florestais - dentro de uma mesma área, proporcionando diversificação das atividades econômicas e minimizando os riscos de frustração de renda por eventos climáticos ou por condições de mercado.

Mas, além da questão econômica, a ILPF se apresenta como uma excelente estratégia para contribuir com a conservação do solo, melhorando sua fertilidade com a aplicação de técnicas e sistemas de plantio adequados para a otimização e a intensificação de seu uso.

Para saber mais sobre a contribuição da ILPF no processo de conservação do solo, conversamos com a Engenheira Agrônoma Andreza Cruz e com o Zootecnista Diogo Rodrigues, técnicos da SOESP Sementes.

A ILPF tem relação direta com a sustentabilidade

A integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF) é um sistema de produção agrícola fundamentado no conceito da sustentabilidade. Baseado nessa questão, os técnicos da SOESP explicam que a ILPF traz consigo importantes benefícios econômicos, sociais e ambientais.

Do ponto de vista econômico esse sistema possibilita uma intensificação do uso das terras, aumentando a produtividade e o lucro, além de proporcionar maior diversificação de produtos.

Na questão social, esse sistema de produção promove a necessidade de melhor capacitação da mão-de-obra (gerando mais renda), criação de empregos diretos e indiretos, além de proporcionar melhores condições de competitividade para propriedades de pequeno e médio porte.

Mas, certamente, os maiores benefícios da ILPF são os ambientais. Andreza Cruz e Diogo Rodrigues, técnicos da SOESP (Sementes Oeste Paulista) explicam que a ILPF promove um uso mais eficiente da água e dos nutrientes, contribui também com a redução dos gases do efeito estufa e principalmente, promove uma melhor conservação do solo.

Conservação do solo: o grande benefício da ILPF

Os sistemas ILPF, por integrarem cultivos anuais com a presença de animais e árvores, são considerados excelentes opções para aumentar a qualidade do solo, conservando-o. Neste sentido, os técnicos da SOESP listam os principais benefícios da ILPF para a conservação do solo. São eles:

  • Controle de pragas e ervas daninhas: Os técnicos explicam que com o uso rotacionado da área, o combate as pragas e ervas daninhas torna-se bem mais eficiente.

A medida em que se altera o ambiente ocorre uma quebra no ciclo reprodutivo. Isto dificulta a permanência de pragas e ervas daninhas na área, diminuindo uso de agroquímicos e maquinários na área”, explicam.

  • Melhora as características físicas do solo: Os técnicos explicam que a palhada remanescente na cobertura do solo possibilita uma melhor conservação da umidade no sistema, protegendo a cultura de altas temperaturas.
  • Melhora as características químicas do solo: Gramíneas e árvores possuem, por característica, sistemas radiculares muito desenvolvidos, contribuindo com a melhora química do solo.

Essa característica torna possível a absorção e reciclagem de nutrientes em camadas mais profundas do solo, muitas vezes não acessíveis à outras culturas, como milho e soja”, ressaltam.

  • Controle da erosão: O desenvolvido sistema radicular das gramíneas e arbóreas também é capaz de fortalecer a estrutura do solo, aumentando a capacidade de infiltração da água e diminuindo, por consequência, os riscos de perdas por erosão.

Efeitos de cada cultura no potencial de conservação do solo

A ILPF tem por característica integrar sistemas produtivos relacionados à lavoura, à Pecuária e a Silvicultura (floresta) em uma mesma área. Neste contexto, os técnicos da SOESP explicam que cada um desses sistemas tem sua contribuição para uma melhor conservação do solo.

Entre os principais benefícios da lavoura para a conservação do solo, eles citam o aumento no aporte de nutrientes no solo como o mais importante.

Na ILPF a lavoura promove maior aporte de nutrientes para o solo. Além disso, há diversificação de culturas, que contribuem com a quebra do ciclo reprodutivo de pragas e ervas daninhas”. Também explicam que a lavoura gera grande parte das receitas necessárias para custear a implantação forrageira e arbórea.

Já as forrageiras destinadas à pecuária, além de garantirem a produção animal, atuam no sistema de ILPF como recicladoras de nutrientes, auxiliando no incremento de matéria orgânica no solo.

Os técnicos citam outro benefício da pecuária para o sistema: “Devido ao seu desenvolvido sistema radicular promovem um uma melhoria nas características físicas do solo como menor compactação, maior porosidade, e menor risco de perda por erosão”.

Andreza e Diogo explicam que o efeito positivo do componente arbóreo será visto na reciclagem de nutrientes em camadas mais profundas e não acessíveis às demais culturas.

Além dessa reciclagem de nutrientes, a barreira física proporciona a formação de um microclima que favorece a manutenção da umidade na área, além da preservação de um solo mais estruturado com menores riscos de perdas por erosão.

Os técnicos da SOESP ressaltam que a implantação de um sistema de integração lavoura-pecuária-floresta funciona como uma série de medidas que atuam a curto, médio e longo prazo.

A lavoura, a curto prazo, atua gerando a receita necessária para a implantação do sistema. A pecuária, a médio prazo, atua diversificando a produção. E a floresta atua funcionando como um potencial capital de reserva a longo prazo”, explicam.

Para eles, cada um desses sistemas tem seu papel na manutenção da qualidade e conservação do solo, melhorando sua estrutura para cada vez aumentar a produção sem ter que abrir novas área.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar