Agrishow faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Poda de citros: saiba como evitar os erros mais comuns

Erros na poda de citros saiba como evitá-los.png
Conheça os objetivos da poda de citros e veja os erros mais recorrentes que precisam ser evitados nesse tipo de manejo

O Brasil é conhecido como um tradicional produtor de frutas cítricas. Porém, esse é um sistema de produção que exige novas técnicas de manejo para aprimorar a produtividade. É o caso da poda de citros, que deve ser feita de acordo com os hábitos de desenvolvimento, formato, idade e vigor vegetativo das plantas.

Porém, não é esse cuidado que vemos em muitos pomares do Brasil, com muitas podas sendo adotadas sem maiores cuidados ou sem seguir as recomendações de especialistas.

Por isso, convidamos dois especialistas da Embrapa Mandioca e Fruticultura para discutir os objetivos da poda de citros, assim como os erros dessa estratégia que comprometem a produtividade de diferentes citros.

Principais objetivos da realização da poda de citros

A poda nas plantas cítricas adultas não é prática usual nos pomares do Brasil, mas vem sendo uma estratégia que começa a crescer diante da maior densidade dos pomares nos últimos anos.

Segundo Eduardo Sanches Stuchi e Eduardo Augusto Girardi, engenheiros-agrônomos e pesquisadores da Embrapa Mandioca e Fruticultura, na cultura de citros podem ser empregados dois tipos de poda: manuais e mecânicas.

Os pesquisadores indicam que as podas manuais são realizadas, principalmente, em duas fases com objetivos diferentes: “Nas plantas jovens a poda destina-se à produção de mudas e pomares jovens, para dar formação às plantas. Já nas plantas adultas a poda destina-se à limpeza interna e rejuvenescimento. Em geral, para fins fitossanitários”.

Já as podas mecânicas fazem parte do manejo da cultura, principalmente em pomares instalados com maior densidade de plantio (espaçamentos reduzidos).

“Elas visam ajuste do formato das plantas e da relação entre o volume total da planta e o volume produtivo (parte exterior da copa onde ocorre a maior parte da frutificação), resultando na alteração da relação entre a copa e o sistema radicular, além de alterar as reservas nutritivas. Também podem ser efetuadas para revigoramento de pomares mais velhos”, complementam os pesquisadores.

Eles explicam também que as podas mecânicas ganharam importância nos últimos anos devido ao incremento das densidades de plantio que resultam em maiores produtividades (toneladas de frutos por hectare).

Há dois tipos principais de podas mecânicas para citros: podas laterais (hedging) e podas de topo (topping). “Em geral, o que se pratica é uma combinação das duas técnicas, sendo a de topo realizada com angulação das serras. Na poda lateral, em geral, se aplica um corte em ângulo de 15º a 25º de modo a manter uma forma levemente piramidal”, indicam Stuchi e Girardi.

Erros mais comuns na poda de citros

Como vimos, a poda de citros tem muitos objetivos que resultam em maior produtividade do sistema de produção. Porém, há alguns erros que podem comprometer esse processo, como citam os pesquisadores da Embrapa:

  • Deixar para podar quando o pomar já está adulto;
  • Cortar ramos com mais de 5 mm de diâmetro quando o pomar não precisa de poda de correção;
  • Podas realizadas em períodos incorretos;
  • Aplicar nitrogênio (N) em excesso após a realização de uma poda mais severa, estimulando excesso de vegetação;
  • Podar todas as variedades da mesma forma.

Recomendações para a poda de citros

Para evitar estes e outros erros na poda de citros, os pesquisadores da Embrapa citam algumas recomendações importantes que os profissionais devem levar em consideração. Confira as principais dicas:

Não deixe para podar quando o pomar já está adulto

“Quando isso ocorre haverá a necessidade de podar com mais intensidade, o que leva ao corte de ramos com diâmetro maior de 2,5 cm e consequente brotação vigorosa após a poda”, dizem Stuchi e Girardi.

Segundo os pesquisadores, isso faz com que as plantas reocupem o espaço de onde se removeu o excesso de vegetação, o que pode causar redução acentuada da safra seguinte.

Realize as podas nos períodos mais adequados

As podas devem ser feitas preferencialmente do inverno até o início da primavera, pois são períodos mais secos, que reduzem problemas fitossanitários e o próprio vigor da brotação. Entretanto, é preciso analisar cada situação. Além disso, plantas que estejam passando por estresse hídrico não devem ser podadas.

Realize a poda de acordo com a variedade do citro

As intensidades da poda devem levar em conta o vigor e o formato das copas de cada variedade e, principalmente, a época de frutificação. Além disso, o ideal é podar logo após a colheita de cada variedade.

Por fim, muitos agricultores citam que realizar a poda de citros na presença de pragas é uma ótima opção, outros dizem que não vale a pena.

Diante disso, Stuchi e Girardi explicam que as diferentes pragas e doenças tem dinâmicas distintas, logo a realização de podas dependerá de qual agente biológico está envolvido.

Eles explicam também que, em alguns casos, a poda pode ser realizada e os resultados são bons. Basta manejar corretamente as doenças e, também, as pragas. “Algumas podas são justamente recomendadas para reduzir o inóculo da doença na planta, como nos casos de rubelose, leprose e amarelinho”, finalizam.

Se você gostou do conteúdo e quer saber mais sobre o assunto, faça o download do nosso infográfico abaixo sobre boas práticas na produção de citros!

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar