Gestão

Big Data melhora o desempenho produtivo do algodão

O agronegócio do algodão está passando por profundas e importantes transformações nos últimos anos devido, principalmente, ao rápido avanço de diversas tecnologias. O Big Data é uma destas tecnologias que está cada vez mais presente no cultivo do algodão brasileiro.

Com o avançar da tecnologia, o Big Data vem se tornando ainda mais recorrente no campo, devido ao impacto positivo que ele pode trazer quando bem utilizado.

Franciele Trentini, gerente técnica da Taranis Brasil, startup israelense especializada em Big Data e Machine Learning para o agronegócio, indica que o Big Data aplicado no campo, seja no cultivo do algodão, seja nos demais cultivos, impacta de forma direta o manejo da lavoura à medida que somos capazes de coletar um grande volume de dados precisos e georeferenciados em curto período de tempo.

Tais dados, por sua vez, serão utilizados para dar maior embasamento para as tomadas de decisão, como explica a gerente técnica da Taranis Brasil.

Esse grande volume de dados históricos, quando associados a plataformas inteligentes conectadas, geram informações de extrema valia para construção de uma tomada de decisão assertiva no manejo do cultivo de algodão”, afirma.

O uso do Big Data melhora o desempenho produtivo do algodão

A tecnologia, que terá o Big Data como principal representante melhora significativamente o desempenho produtivo da cultura de algodão.

O Big Data contribui com a produtividade pois apresenta um diagnóstico claro e preciso de todas as anomalias presentes na lavoura como a incidência de insetos, severidade de doenças, falha na emergência e plantas invasoras”, explica Francieli.

Ainda segundo Franciele, o Big Data contribuirá com a correta identificação e quantificação destas anomalias, inclusive gerando alertas e os chamados mapas de calor ou heat maps que contribuirão com uma ação no timing correto.

Ela indica que este impacto positivo da tecnologia no desempenho produtivo da cultura do algodão refletirá diretamente na otimização dos recursos utilizados durante todo o ciclo da cultura que demanda um número de pulverizações acima da média dos demais cultivos, podendo chegar a 21 pulverizações no decorrer da safra.

O excedente de pulverizações é devido a pressões de anomalias no cultivo do algodão como é o caso do bicudo – praga de maior relevância econômica desta cultura. O Big Data irá otimizar os recursos destinados às pulverizações”, explica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *