A Agrishow

Trator conceitual movido à biometano é atração na Agrishow 2018

Já é possível reduzir em 30% os custos do funcionamento do trator e ter independência energética, graças a um combustível: o biometano. Um trator conceitual que utiliza o gás como combustível está na Agrishow 2018. Desenvolvido pela New Holland, em condições reais de campo, o novo conceito movido a biometano produz, pelo menos, 10% menos de emissões de CO2 e reduz o total de emissões em 80% em comparação com um motor padrão a diesel.

De acordo com o diretor de marketing de produtos da New Holland América Latina, Eduardo Kerbauy, muito do que foi apresentado com o trator conceito exposto na Agrishow 2018 é resultado de feedbacks de produtores rurais que têm utilizado tratores em suas produções.

O biometano pode produzido a partir de restos de colheitas e resíduos de culturas energéticas de origem agrícola, o que resulta em emissões de CO2 próximas a zero. Porém, as fazendas precisam de espaço para abrigar um biodigestor para produzir o gás. Esse biodigestor é alimentado com culturas energéticas especificamente produzidas, resíduos animais alimentares ou de culturas, pode-se utilizar o lixo coletado de fábricas de alimentos, supermercados e restaurantes, além dos materiais reunidos na fazenda.

Esse biogás produzido no biodigestor é transferido para uma estação de refinamento, onde é transformado em metano de grau combustível para acionar os veículos e as máquinas da fazenda. O metano também pode ser usado para alimentar um gerador para produzir eletricidade, que pode ser usada na fazenda, além de ser uma fonte elétrica extra para abastecer comunidades locais. Os subprodutos da biodigestão podem ser usados como fertilizantes naturais nos campos da fazenda.

Segundo a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), o potencial energético das biomassas (matéria orgânica usada como fonte de energia) no Brasil chega a cerca de 460 milhões de TEP (Tonelada Equivalente de Petróleo) em 2050. Já a Abiogás (Associação Brasileira de Biogás e Biometano) considera que o potencial nacional é de cerca de 20 bilhões de metros cúbicos ao ano nos setores sucroalcooleiro e na produção de alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *