Tecnologia

Tratamento de sementes através de elétrons: o que é?

O tratamento de sementes é considerado um dos processos mais importantes que antecedem o plantio e o cultivo de diversas plantas. Neste contexto, o tratamento químico é a forma de tratamento mais comum. Mas, nos últimos anos, está surgindo uma inovadora forma de tratamento conhecida como tratamento de sementes através de elétrons.

O tratamento de sementes através de elétrons representa um processo muito moderno, ecológico e completamente livre de produtos químicos, sendo, por isso, uma alternativa bastante interessante ao tratamento químico. E essa inovadora forma de tratamento de sementes é bastante complexa. O representante do Instituto Fraunhofer para Eletrônica Orgânica, Feixe de Elétrons e Tecnologia de Plasma,  André Weidauer, explica que o tratamento de sementes através de elétrons é baseado no efeito biocida dos elétrons de baixa energia.

Os elétrons acelerados são produzidos de acordo com o princípio do tubo de Braun. Quando são aplicadas altas tensões elétricas entre o cátodo e o ânodo, elétrons são emitidos do cátodo e acelerados pela diferença de carga na direção da janela de saída de elétrons. Isso separa o vácuo em que os elétrons são gerados a partir do espaço do processo em que a pressão ambiente prevalece”, explica.

Weidauer ressalta ainda que para o tratamento da semente a dosagem aplicada é muito importante. “Essa dosagem é ajustada através da intensidade da corrente e da energia dos elétrons, que por sua vez é ajustável através da tensão de aceleração”. No caso do tratamento de sementes com elétrons, a dose letal é decisiva para o controle dos agentes patogênicos existentes.

Alta diversidade de variedades pode ser tratada com elétrons

O uso de elétrons tem alta possibilidade de tratamento contra praticamente todos os agentes patogênicos que estão localizados dentro e sobre a casca de uma variedade bem extensa de sementes.

Dessa forma, esse método é capaz de matar patógenos de todos os tipos nos seguintes produtos:

  • Sementes de cereais: trigo, cevada, triticale, centeio e aveia;
  • Sementes de hortaliças: manjericão, feijão, ervilha, alface-de-cordeiro, alho, repolho, alho-porro, cenoura, pimentão, salsa, rúcula, alface, tomate e cebola;
  • Temperos/Especiarias: anis, pimenta malagueta, pimenta e manjerona;
  • Outras sementes: milho, gramíneas, sementes de flores, colza (ou canola), papoula e batatas-semente.

Weidauer ressalta ainda que não só os agentes patogênicos transmitidos por sementes que são exterminados, mas também há uma proteção duradoura, pois ocorre a interrupção da cadeia de infecção pela morte de microrganismos prejudiciais, tais como bactérias e vírus.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *