Agrishow faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Passo a passo para uma boa rotação de culturas: o que é preciso?

Passo a passo para uma boa rotação de culturas: o que é preciso?

Define-se como rotação de culturas uma prática agrícola que consiste em alternar em uma mesma área diferentes culturas vegetais seguindo um plano previamente definido. Quando bem adotada, esta técnica torna o sistema mais produtivo e sustentável.

Porém, para garantir a eficiência de qualquer sistema de rotação de culturas existem alguns princípios básicos que precisam ser respeitados. Esses princípios se baseiam em um passo a passo que precisa ser seguido.

Várias são as etapas utilizadas para uma gestão mais assertiva da rotação de culturas, mas todas essas etapas necessitam, prioritariamente, de um planejamento bem fundamentado. Essa é a visão do professor doutor Paulo Claudeir Gomes da Silva, docente dos cursos de Agrárias da Unoeste.

Para o professor o planejamento deve iniciar-se com a realização de uma análise de solo. “Com essa análise é possível corrigir adequadamente o solo com calagem, gessagem e adubação, seguindo as necessidades das culturas definidas”, explica o professor.

Além disso, Silva explica que se a área está degradada demais, com erosões ou muito compactada, recomenda-se fazer o processo de reforma com mecanização no primeiro ano (Subsolar, tombar ou gradear).

Mas se for observado que a área não está tão degradada, pode-se adotar o plantio direto. Assim é possível obter boas produtividades em ambas as escolhas”, diz.

Seguindo a mesma linha, Luiz Adriano Maia Cordeiro, engenheiro-agrônomo, doutor em Fitotecnia e pesquisador da Embrapa Cerrados cita alguns passos de suma importância que precisam ser seguidos. São eles:

1) Contratar um profissional de Ciências Agrárias ou Consultor especializado na área;

2) Proceder com um diagnóstico bastante detalhado da propriedade rural. “Neste diagnóstico deve-se verificar as divisões de glebas, análise de solo, fatores limitantes, produtividades, maquinário disponível, entre outros detalhes”, explica Cordeiro;

3) Planejar qual será o sistema de rotação, preferencialmente em Sistema Plantio Direto, com base na intercalação de culturas econômicas com espécies produtoras de fitomassa ou de cobertura do solo. “Nessa escolha deve ser levado em conta as condições edafoclimáticas locais e de mercado”, recomenda;

4) Iniciar a implantação do sistema em uma pequena parte da propriedade (20%-30%);

5) Avaliar o desempenho econômico e agronômico do sistema de produção em rotação de culturas;

6) Adaptar ou reformular o sistema de rotação de culturas, caso necessário.

Ocultar comentários

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar