Agrishow faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Passo a passo para fazer a correta devolução de embalagens

Passo a passo para fazer a correta devolução de embalagens.jpg
Por lei, todo produtor rural que faz uso de defensivos agrícolas tem como uma das obrigações fazer a correta devolução de embalagens vazias desses produtos em locais corretos e que saibam dar o destino a cada uma elas.

Brasil é um exemplo a ser seguido, principalmente após a criação do Sistema Campo Limpo, gerenciado pelo Inpev e que realiza o que chamamos de logística reversa com a devolução de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil.

Mas você sabe qual tipo de embalagem deve ser devolvida e qual deve ser o passo a passo para fazer essa devolução? Veja nosso artigo de hoje e saiba tudo!

O que é o Sistema Campo Limpo para devolução de embalagens?

O Sistema Campo Limpo é a denominação do programa gerenciado pelo inpEV para realizar a logística reversa de embalagens vazias de defensivos agrícolas no Brasil.

Abrangendo todas as regiões do país, o Sistema tem como base o conceito de responsabilidade compartilhada entre agricultores, indústria, canais de distribuição e poder público, conforme determinações legais, o que tem garantido seu sucesso.

A partir de 2002, quando o Sistema Campo Limpo entrou em funcionamento, a maior parte das embalagens utilizadas na agricultura nacional passou a ter destinação correta.

Hoje, cerca de 94% das embalagens plásticas primárias (que entram em contato direto com o produto) e 80% do total de embalagens vazias de defensivos agrícolas que são comercializadas têm destino certo, tudo graças à eficiência do sistema Campo Limpo.

Cadeia compartilhada: da revenda à indústria fabricante

O Sistema Campo Limpo funciona como uma cadeia compartilhada de responsabilidade. Essa cadeia parte do momento da compra do produto químico, onde revendas, cooperativas e distribuidoras são obrigadas a colocar, na nota fiscal, o local de recebimento dessas embalagens.

Depois disso, a indústria fabricante recolhe, e fica responsável pela devolução de embalagens e por levá-las para a reciclagem ou encaminhar para um final correto.

Nesta cadeia de responsabilidade, Antonio Carlos Amaral, gerente de Operações do inpEV, explica que todas as embalagens de defensivos agrícolas devem ser devolvidas nas unidades de recebimento do Sistema Campo Limpo.

Todas as unidades indicadas pelo canal de distribuição na nota fiscal estão preparadas para receber as embalagens vazias de defensivos agrícolas”, diz.

Segundo Amaral há embalagens laváveis, que são rígidas (plásticas e metálicas) e servem para acondicionar formulações líquidas para serem diluídas em água. “Cerca de 1% destas embalagens são feitas de aço ou outros metais. A maioria, no entanto, é feita de plástico”.

As embalagens não laváveis são utilizadas para acondicionar produtos que não utilizam água como veículo de pulverização, além de todas as embalagens flexíveis e as embalagens secundárias.

Passo a passo para a devolução de embalagens vazias

Para a devolução de embalagens vazias nas unidades de recebimento, o produtor deve realizar um passo a passo bastante simples, mas muito importante. Antonio Amaral explica quais são esses passos.

  1. Lavagem das embalagens

Na propriedade agrícola, as embalagens vazias devem sempre ser armazenadas em local adequado, protegido e identificado, longe de pessoas, animais, suprimentos ou medicamentos. Devem também ser separadas por tipo: rígidas, flexíveis e secundárias.

Após o uso, as embalagens rígidas devem ser lavadas e inutilizadas pelo agricultor. “O produtor pode realizar a tríplice lavagem ou lavagem sob pressão”, ressalta o gerente de operações do inpEV.

A tríplice lavagem consiste em lavar três vezes a embalagem, depois de esvaziá-la totalmente, despejando a água de enxague dentro do tanque do equipamento de aplicação. Para inutilizar, basta perfurar o fundo da embalagem com um objeto pontiagudo.

Na lavagem sob pressão, a embalagem é encaixada no funil do pulverizador e a bomba do próprio equipamento gera a pressão para pressionar o bico de lavagem. A água limpa utilizada no processo é captada de um tanque extra, que pode ou não estar integrado ao equipamento.

A água da lavagem volta para o tanque do pulverizador e o fundo da embalagem vazias deve ser perfurado”, completa Amaral. Ele ainda ressalta que a lavagem é indispensável para permitir que a embalagem seja reciclada.

  1. Armazenamento da embalagem lavada

Depois de lavadas, as embalagens vazias devem ser armazenadas em local adequado com as tampas. “O ideal é devolver as tampas também, mas as EVs que passaram por tríplice lavagem podem vir destampadas – isso ajuda na hora do recebimento” diz Amaral.

Rótulos e caixas, separadas por tipo devem ser devolvidas na unidade de recebimento indicada pelo revendedor na nota fiscal até um ano após a compra. As embalagens com sobra de produto devem ser devolvidas até seis meses após o vencimento. O agendamento da devolução pode ser feito eletronicamente.

  1. Devolução de embalagens

O agricultor deve entregar as embalagens nas mais de 400 unidades de recebimento do Sistema Campo Limpo espalhadas pelos 26 estados brasileiros e Distrito Federal.

Do total de unidades, 92 contam com o Agendamento Eletrônico de Devolução. Também podem recorrer ao recebimento itinerante, consultando o calendário das unidades mais próximas”, indica Amaral.

Para o transporte, as embalagens rígidas devem ser acondicionadas de preferência na própria caixa de embarque. As embalagens flexíveis, depois de esvaziadas completamente no momento do uso, devem ser guardadas dentro de uma embalagem de resgate.

As embalagens nunca devem ser transportadas junto de pessoas ou animais”, lembra Amaral.

  1. Destinação da embalagem

O inpEV é o responsável por encaminhar as embalagens para dez recicladoras parceiras, que as transformam em diversos artefatos. “Além da Ecoplástica® e da Ecocap®, são produzidos diversos artefatos plásticos, entre eles conduítes e dutos, drenos e conexões, e tubos para esgoto”, diz Antonio Amaral.

As embalagens que não podem ser recicladas são encaminhadas para a incineração. “O Sistema destina 94% das embalagens plásticas primárias colocadas no mercado. Dessas: 94% são recicladas e 6% são incineradas”, completa o gerente de Operações do inpEV.

E você, já conhecia o passo a passo para devolução de embalagens vazias? 

 

Registre-se para fazer download desse recurso

Registrar-se como membro da Agrishow lhe dá acesso a conteúdo premium incluindo webinars, whitepapers e muito mais.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar