• Agrishow Digital is part of the Informa Markets Division of Informa PLC

    This site is operated by a business or businesses owned by Informa PLC and all copyright resides with them. Informa PLC's registered office is 5 Howick Place, London SW1P 1WG. Registered in England and Wales. Number 8860726.

Gestão

Como preparar o solo para a rotação de culturas?

Considerada um importante aliado do Sistema de Plantio Direto (SPD), a rotação de culturas é uma prática agronômica que consiste na alternância planejada de espécies em determinada área ao longo dos anos. Especialistas consideram a rotação de culturas como uma das formas mais eficientes de reduzir os impactos ambientais decorrentes da monocultura, pois melhora as condições físico-químicas e biológicas do solo, além de, quando bem realizada, contribui para reduzir a incidência de doenças, plantas daninhas e pragas (favorecendo a quebra do ciclo de vida delas).

Porém, para que tenha a eficiência esperada, a rotação de culturas exige que o produtor demande alguns cuidados e, dentre eles, especialistas relatam que o mais importante é saber preparar o solo da forma correta.

Análise completa do solo: essencial para iniciar a rotação de culturas

Todo tipo de manejo do solo, como é o caso da rotação de culturas, consiste num conjunto de operações que objetivam propiciar condições favoráveis ao desenvolvimento das plantas cultivadas. Nesse sentido é consenso que o preparo do solo é a primeira e mais importante operação deste conjunto de operações.

Quando usado racionalmente, o preparo do solo pode permitir uma alta produtividade da rotação de culturas, entretanto quando usado de maneira incorreta, pode rapidamente levar o solo à degradação, diminuindo paulatinamente o seu potencial produtivo.

Por isso, o doutor em produção vegetal e professor dos cursos de agrárias da Unoeste de Presidente Prudente (SP), Paulo Claudeir Gomes da Silva, explica a análise do solo deve sempre ser a primeira ação quanto da adoção da rotação de culturas.

No âmbito do preparo do solo, deve ser feita, antes de tudo, toda uma análise de solo, além da verificação para identificar se a área está compactada. Caso esteja, recomenda-se preparar o solo e, assim, fazer a incorporação do calcário e do gesso e para que nos demais anos agrícolas seja possível realizar o plantio direto”, diz o professor.

Silva explica ainda que caso a área não esteja compactada, pode se iniciar com plantio direto e a correção feita superficialmente. Mas neste caso, o professor da Unoeste explica que esse procedimento precisa ser feito com antecedência. “Recomenda-se ao menos 6 meses antes do início do plantio”, diz.

Já a decisão sobre mecanizar ou não, deve ser analisada criteriosamente pelo produtor, onde ele deve considerar diversos fatores que irão contribuir para o sucesso do seu planejamento.

A importância do planejamento eficiente

Para que atinja seu sucesso e tenha a máxima eficiência, a implantação da rotação de culturas demanda um ótimo planejamento por parte do produtor. “Somente assim irá se promover na superfície do solo, a manutenção permanente de uma quantidade mínima de palhada deve ficar entre 3 e 5 t/ha”, explica da Silva.

O professor ainda explica que todo esse planejamento para a rotação de culturas irá se basear em algumas etapas de suma importância. Entre as etapas mais importantes, ele cita:

  • Análise de solo que seja representativa de toda a área;
  • Calagem e gessagem;
  • Escolha adequada das culturas, mediante a região em que se encontra;
  • Planejamento antecipado;
  • Execução;
  • Orientação técnica; e
  • Avaliação das metas.

O produtor quando realiza a rotação de culturas, pode começar pelo sistema convencional caso sua área esteja compactada, mas os próximos cultivos serão realizados no sistema de plantio direto”, recomenda Silva.

O professor explica que assim será possível manter um bom volume de palha no solo (material orgânico) para que o processo de decomposição transforme e aumente a quantidade de matéria orgânica no solo.

Qualquer solo aceita a rotação de culturas

Uma dúvida bastante comum entre agricultores e produtores rurais é saber se a rotação de culturas será eficiente em qualquer tipo de solo. A resposta de Silva é: SIM! Segundo o doutor, desde que haja bom preparo e planejamento qualquer solo pode receber o sistema de rotação de culturas. Mas ele faz uma ressalva:

O que temos que nos atentar é a região do país em que estamos. O Brasil é muito extenso, por isso temos diferentes condições climáticas como temperatura, distribuição de chuvas, altitude referente ao nível do mar e muitas outras variáveis que precisam ser corretamente consideradas”.

Para ele, tais fatores influenciam significativamente nas escolhas das culturas para se planejar a rotação de cultura em sua área e obter excelentes resultados referente a conservação do solo e econômico.

Dessa forma com um bom preparo do solo, com o passar dos anos, o produtor conseguirá obter um melhor desempenho das cultivares utilizadas, principalmente em virtude da maior eficiência na absorção de nutrientes e menor sensibilidade dessas plantas a estresses de umidade, por exemplo.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *